Itabunense é preso com arma e drogas em Itapetinga

Humberto Vila Nova Maia, 33 anos, morador do Bairro Lomanto, em Itabuna, foi preso por policiais militares do Peto (8ª Cipm) na noite desta terça-feira (7), na estação rodoviária de Itapetinga. A denúncia dava conta de que o homem estava transportando armas de fogo e drogas e que estaria chegando a estação rodoviária de Itapetinga, para onde foi deslocada uma guarnição do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto), cumprindo determinação do comando da 8ª Cipm.


O acusado, ao ser abordado, estava portando uma sacola contendo 50 munições novas e intactas de 9.0 mm (de uso restrito), uma pedra grande de crack, uma porção de cocaína, de aproximadamente 50 gramas, a quantia de R$ 600,00 em espécie, além de um aparelho celular Samsung e outros objetos pessoais. Humberto recebeu voz de prisão e foi apresentado no Complexo Policial de Itapetinga

Tentou entrar no presídio de Ilhéus com maconha no sutiã

Agentes penitenciários do presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus, após procedimento de revista, conseguiram evitar que uma mulher, identificada como Janaína Camargo da Cruz, adentrasse na unidade prisional, com algumas gramas de maconha, escondida no sutiã. A mulher foi encaminhada à delegacia, e, segundo os agentes, ela responderá pelo crime de tráfico de drogas

Justiça decide que médico que plantava maconha em casa não é traficante

Em mais um caso envolvendo cultivadores de maconha, a Justiça de São Paulo decidiu que um jovem médico flagrado plantando Cannabis não cometeu crime de tráfico e que a erva apreendida era para o seu consumo. Na decisão, a juíza Silvana Amneris Rôlo Pereira Borges, da 6ª Vara Criminal de Santos, afirma que “não há prova a indicar que a droga produzida pelo acusado fosse destinada ao consumo de terceiros”.

Em janeiro do ano passado, policiais chegaram à república estudantil onde o jovem morava, em Santos, depois de um denúncia. Lá, foram encontrados cinco vasos da planta e artefatos para cultivo, além de um recipiente de vidro contendo 14 gramas de maconha e uma sacola com 70 gramas.


O médico chegou a ficar preso durante dois dias, mas sua defesa conseguiu a revogação da prisão preventiva. No último dia 12 de março, saiu decisão em favor da desclassificação do crime.


"Em uma análise preliminar, tanto o delegado como o Ministério Público de São Paulo entenderam que era tráfico. Inicialmente, a nossa medida foi conseguir a revogação da prisão preventiva para que ele aguardasse o julgamento em liberdade. Depois da denúncia por tráfico, demonstramos que ele não passava de um mero usuário", afirma o advogado de defesa, Marcelo José Cruz.


Um dos argumentos do jovem é que ele decidiu cultivar a erva para não financiar o tráfico de drogas. Segundo a decisão, o médico “explicou que sempre entrava em um conflito psicológico, porque tinha que comprar do traficante, ter contato com o criminoso, e não aceitava isso”.


Com a desclassificação do crime, ao jovem foi imposta pena de prestação de serviços à comunidade, pelo período de um mês.

Membro de facção morre em confronto com a polícia; bandidos dão toque de recolher






Gildásio Anjos dos Santos Júnior, de 24 anos, o 'Juninho', morreu em confronto com a polícia, na manhã desta quinta-feira (02), em Porto Seguro, em uma operação de policiais militares da Caema.


Segundo a polícia, havia quatro mandados de prisão em aberto contra ele por suspeita de diversos homicídios na cidade.


'Ele é suspeito de, pelo menos, 23 homicídios na cidade. Foi ele quem iniciou a onda de mortes ocorrida há cerca de duas semanas em Porto Seguro. Entre os crimes destacamos a morte de um cigano de 15 anos e de um publicitário', disse o comandante da Caema, major Anacleto França.


Com o suspeito, os policiais da Caema apreenderam um revólver calibre 38, duas toucas ninjas, uma balança de precisão e roupas camufladas, semelhantes às dos Exército Brasileiro.


Por conta da morte de Juninho, bandidos ordenaram toque de recolher no bairro Baianão . Segundo moradores, várias lojas estão fechadas, ônibus estão impedidos de circular e um posto de saúde estaria fechado. Radar64

Homem ateia fogo no próprio corpo em rodoviária de Rondônia


Um homem ateou fogo no próprio corpo com um galão com gasolina na Rodoviária de Porto Velho, capital de Rondônia. De acordo com as pessoas presentes no local, o homem tinha problemas mentais e resistiu ao socorro quando passageiros e funcionários da rodoviária tentaram utilizar tecidos e extintores para que ele não morresse. O caso aconteceu na tarde de quarta-feira (1º).


Em entrevista ao Terra, o taxista , Jaime Batista, de 45 anos, disse que o homem chegou ao terminal com um galão de cinco litros e tentou acessar o espaço de embarque, mas foi impedido pela polícia. Contrariado, ele derramou o líquido no próprio corpo e acendeu com um fósforo.


"Pegamos extintores dos carros, das lanchonetes, tentamos abafar com tecido, mas ele tentava fugir. Nunca vi isso na minha vida", conta Anízio de Oliveira, que trabalha como motorista no local, também em entrevista ao site. Socorrido por uma equipe do SAMU, o homem teve 70% do corpo queimado e está em estado estável em um hospital da cidade. Ibahia

Médico alerta para sintomas da dengue associados à oftalmologia









O cirurgião oftalmologista e diretor presidente do DayHORC, Dr. Ruy Cunha (CRM – 5.775), fala sobre os cuidados com os olhos neste período de aumento dos casos de dengue. A dengue é um problema de saúde pública que tem preocupado a muitos neste período, principalmente pelo fato de Itabuna está vivenciando um surto da doença. Entre os principais sintomas da doença a dor forte na região atrás do globo ocular, causando muitas vezes o aumento das queixas e até levando pacientes aos consultórios oftalmológicos.


De acordo com a sintomatologia, para os pacientes com dengue, a dor atrás dos olhos costuma piorar quando os olhos se movimentam, exigindo do paciente que reduza a movimentação para amenizar a dor e desconforto. Na dengue clássica a febre costuma durar de três a oito dias e pode causar pequenas bolhas vermelhas em algumas regiões do corpo, como pés, pernas e axilas. O paciente demora, em geral, uma semana para ficar bom. Porém, o cansaço e a falta de apetite podem demorar até quinze dias para sumir. Após a picada do mosquito, os sintomas se manifestam a partir do terceiro dia. Passado o tempo médio do ciclo de manifestação da doença, a recuperação costuma ser total.


Ainda sobre os sintomas relacionados à oftalmologia associados aos casos de dengue, a dor na região dos olhos pode persistir pelo tempo que a doença se prolongar no organismo. “É importante observar que nem todas as dores de cabeça, ou dor na região do globo ocular estão associadas à dengue, necessitando da associação a outros sintomas e a confirmação por exame de sangue”, declarou Dr. Ruy Cunha. Nesta linha, é preciso observar o tempo de duração e as características da dor nos olhos: qualquer fuga do padrão sintomatológico previsto deve levar o paciente a procurar um médico oftalmologista imediatamente.


Da mesma forma é preciso prevenir evitando a automedicação. “O paciente em cuidados de dengue já deve ter passado por uma avaliação clínica e está sob cuidados, inclusive farmacológicos com medicação de controle de febre e dores, não devendo fazer opção por uso de colírios sem prescrição médica”, finalizou o médico.

Doença sem diagnóstico assusta moradores de Camaçari: 'angustiante'





Pintas, dores e coceira pelo corpo. Esses são alguns dos sintomas de uma doença ainda sem diagnóstico que tem atingido moradores do município de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. De acordo com o diretor da Vigilância Epidemiológica de Camaçari, Celso Joélio, até esta terça-feira (24), 39 casos foram registrados oficialmente na cidade.


Joélio afirma que os registros foram feitos em bairros diferentes da cidade e que outros casos também foram encontrados em municípios da região.

O diretor conta que testes realizados em pacientes descartaram a possibilidade de se tratar de dengue, febre chikungunya, rubéola ou sarampo. Ele acredita que embora ainda não tenha sido identificada, a doença tem evolução benigna e não resulta em nenhum outro problema à saúde.


"Coletamos amostras de sangue e mandamos para o laboratório central. Amanhã vamos discutir com o estado para saber o que é. Mas já adiantamos que não é motivo para pânico. Estamos passando antialérgico e as pessoas estão melhorando. A doença não está oferecendo risco nenhum. Mas é óbvio que a gente precisa saber o que é", explica.



De acordo com a Secretaria de Saúde de Camaçari (Sesau), os sintomas duram em média sete dias e desaparecem sem causar nenhum dano. O órgão afirma que os pacientes não têm febre e que a maior probabilidade é que seja uma virose.


Entre os casos registrados em Camaçari está o do caldeireiro Hebert Vieira. "Desde segunda-feira (23) que o corpo está empolado, coçando muito, mole, dolorido, como se tivesse com febre. Fui ao médico e ele mandou fazer um hemograma. Fiz, só que o resultado deu normal, sem qualquer alteração. A partir daí o médico me passou outros dois remédios, mas foi mais como se fosse um palpite, porque ele não sabe o que é", afirma.

Grávida anuncia doação de filho através do Facebook: 'Criança tranca a vida da gente'

Grávida anuncia doação de filho através do Facebook: 'Criança tranca a vida da gente'Uma jovem de 20 anos, grávida do terceiro filho, anunciou através do Facebook a doação do bebê que está aguardando. A postagem na rede social aconteceu em um grupo de venda de produtos usados: "Procuro um casal para adotar um bebê. Estou grávida, não tenho condisao de cria. Ce alguen interessa me liga (sic)", escreveu a moradora da cidade de Poconé, no Mato Grosso.


Em entrevista ao G1, ela afirmou que já encontrou uma pessoa para cuidar da criança assim que ela nascer: "Não quero ficar com o bebê porque não tenho condições de cuidar. Já tenho outros dois filhos que ficam comigo". Na postagem no Facebook, ao ser questionada sobre o motivo de não manter o filho, ela também justificou que "criança tranca a vida da gente". Ainda de acordo com o G1, o Conselho Tutelar do município já está ciente do caso e deve tomar providências. Segundo o promotor da Vara da Infância e Juventude de Cuiabá, José Antônio Borges, não há crime em anunciar o interesse de doar o filho em uma rede social: "Crime é jogar no lixo".

Criança fica bêbada e vai parar em hospital após restaurante servir sangria em vez de suco


Uma criança de dois anos foi parar no hospital após beber sangria em vez de suco de cranberry em um restaurante na Carolina do Norte, nos Estados Unidos.





Os pais de Gabriella Gilliam ficaram assustados em ver a filha fazendo caras estranhas depois de tomar a bebida.


A família estava comemorando o aniversário do pai, Derek Gilliam. Gabriella foi levada ao hospital, onde os médicos confirmaram que ela havia ingerido álcool acidentalmente.


"Você não deveria temer pelo seu filho de dois anos com um erro estúpido como esse", disse Derek ao canal Fox News.


A rede de restaurante Texas Roadhouse, que tem mais de 400 pontos de venda em todo o país, pediu desculpas pelo "erro honesto" e pagou o jantar da família.

Homem diz que decapitou namorada por "acesso de ódio" durante briga

Renato Guilherme da Silva foi encontrado na casa dos pais, neste sábadoDepois de ser preso e confessar que decapitou a namorada, Renato Guilherme da Silva, 24 anos, contou em depoimento à polícia que o crime aconteceu durante uma briga por ciúmes e que ele matou Patrícia Pereira da Silva, 20 anos, em um "acesso de ódio". O crime foi na última quinta-feira em Angelim, em Pernambuco, e teve repercussão por todo país por conta da violência com que foi cometido.


Renato contou que ele e Patrícia se conheciam desde a adolescência e namoravam há mais de sete anos. Há cerca de três anos, a relação entrou em uma fase com mais baixos do que altos. A jovem começou a se interessar por outras pessoas e os dois brigavam constantemente por ciúmes que Renato sentia.


Na noite do crime, os dois foram para uma festa de São José, padroeiro da cidade, e discutiram porque uma pessoa com quem Patrícia estaria se relacionando estava na festa, segundo Renato contou ao delegado José Renivaldo Pinto.